Religião

Católicos de João Neiva realizam caminhada de orações pedindo chuvas

Postando em:

O baixo nível dos rios de João Neiva causado pela longa estiagem na região motivou católicos do Município a realizarem uma caminhada de orações para pedir que Deus envie chuva para região, de forma que o líquido precioso volte a ser abundante para o abastecimento dos Municípios.

A caminhada deste domingo foi a segunda organizada pela Comunidade São Judas Tadeu, do Bairro Crubixá. A primeira aconteceu no dia 18 de outubro.

Neste domingo, a caminhada contou com a participação de aproximadamente 35 pessoas, dentre elas homens, mulheres, idosos e irmãs de caridade que caminharam aproximadamente 4,5 km, até chegarem à Cachoeira do Paraíso, local onde existia enorme volume d’água, e que chegou a ficar conhecido como cachoeira do inferno devido ao grande número de afogamentos, coisa inimaginável nos dias atuais.

Durante o percurso, os religiosos rezavam o terço, ladainhas e entoavam hinos. Orações eram feitas em locais onde até bem pouco tempo havia concentração de água formando brejos ou sobre a ponte, por exemplo, lugar conhecido como Domicio, que há anos era super freqüentado por banhistas e que hoje a água não passa do tornozelo de um adulto.

As preces dos religiosos parecem ter surtido algum efeito, já que no final da tarde caiu, em João Neiva, uma chuva que não veio para resolver a questão do abastecimento do Município, mas serviu para baixar a poeira, molhar as plantas e dar uma amenizada no calor.

De acordo com a irmã Edilse Bernadete Klein, uma nova caminhada deve ser realizada nos próximos dias independente da estiagem. “Se não chover, será mais uma caminhada de orações pelo envio de chuvas. No caso do período de seca chegar ao fim, a caminhada será feita em agradecimento”, afirmou.

Católicos de João Neiva realizam caminhada de orações pedindo chuvas

Católicos de João Neiva realizam caminhada de orações pedindo chuvas

As preces dos religiosos parecem ter surtido algum efeito, já que no final da tarde caiu, em João Neiva, uma chuva que não veio para resolver a questão abastecimento do Município, mas serviu para baixar a poeira, molhar as plantas e dar uma amenizada