Policial

Suspeito de aplicar golpe em madeireira de Aracruz é preso em Barra de São Francisco

Postando em:

Policiais da Delegacia Patrimonial – Depatri de Aracruz prenderam, na última quinta-feira (14), em Barra de São Francisco, noroeste do ES, um homem de 24 anos, suspeito de crimes de estelionato. Ele não teve o nome divulgado. Segundo o titular da Depatri, delegado Leandro Sperandio, pelo menos três crimes foram praticados nos últimos dez dias, sendo um deles em Aracruz. O alvo foi uma madeireira localizada no distrito de Guaraná.

No estabelecimento, o suspeito teria comprado 3800 estacas de madeira efetuado o pagamento com cheque pré-datado e falsificado.   O mesmo golpe teria sido aplicado em mais dois estabelecimentos de outros município. No momento da prisão, o suspeito estaria tentando fazer mais uma vítima. Com o homem detido, os policiais apreenderam uma espingarda, sete cheques falsificados e a quantia de R$ 800,00.

De acordo com a polícia, o suspeito agia com a ajuda de um comparsa, já identificado pela polícia. Nos estabelecimentos escolhidos para aplicação do golpe a dupla se identificava com nomes falsos. Feita a negociação, as estacas de madeira eram entregues pela vítima em Barra de São Francisco. Depois os suspeitos levavam o produto para propriedades rurais distantes para revendê-lo.

Somente em três golpes confirmados pela polícia, o prejuízo total foi de R$ 49 mil, resultado da transação de 4900 estacas de eucalipto. Boa parte das estacas foi recuperada já nas mãos de terceiros.

Ainda segundo a polícia, na quarta-feira (13) os dois homens já teriam aplicado o mesmo golpe em uma madeireira localizada no município de Alto Rio Novo e outros dois estabelecimentos já estariam nos planos da dupla. Os alvos seriam um alambique em São Roque do Canaã e uma loja de madeira no município de Serra.   

Até o momento, a polícia concluiu que outros dez cheques falsificados e em nome do mesmo correntista foram passados em diferentes estabelecimentos. Ainda em andamento, as investigações visam esclarecer também se a dupla contava com a participação de outras pessoas nas aplicações do golpe.