Política

Escândalo de vereador em motel de Aracruz – Comissão já tem relator

Postando em:

A Comissão Processante instaurada na câmara municipal de Aracruz para analisar o caso do vereador Alberto Lopes, mais conhecido como Beto Negreiro (foto), que responde a processo por falta decoro parlamentar, já definiu seu relator.

Caberá ao vereador Celso Dias (PRB) a responsabilidade de relatar suas conclusões sobre o caso de grande repercussão que pode resultar, inclusive, na cassação do mandato do vereador Beto Negreiro, envolvido em um escândalo ocorrido em um motel de Aracruz.

Leia também: Zé Geraldo é uma das atrações do Festival do Queijo em João Neiva (Concorra ao passaporte)

A Comissão Processante foi aberta na sessão do último dia 25, após o plenário aceitar denúncia apresentada pela mesa diretora da câmara, que acusa o vereador Beto Negreiro de falta de decoro parlamentar.

No último dia 20 de agosto, a Polícia Militar foi chamada a um motel localizado à Rodovia ES 257, onde o vereador teria se envolvido em uma confusão. De acordo com a denúncia lida na íntegra na referida sessão da câmara, Beto Negreiro teria quebrado vários objetos de uma suíte do motel durante um desentendimento com um homem e uma mulher que estavam com ele.

O casal teria dito que o vereador chamou a mulher para um programa no motel, pelo qual ele pagaria a quantia de R$ 800,00. Para garantir o pagamento, o vereador teria aceitado que a mulher levasse um amigo, mas que na hora, embriagado e com ciúme da mulher, o vereador teria jogado vários objetos do motel contra o homem. Ele ainda teria ameaçado o casal, dizendo que tinha um revolver no carro, mas a arma não foi encontrada pela polícia. Durante revista na suíte e no veículo Chevrolet Onix, usado pelos três envolvidos, a polícia encontrou três embalagens de substância entorpecente similar a cocaína

Já na delegacia, Beto Negreiro contou que convidou a mulher e o homem para irem ao motel, mas que seus acompanhantes teriam tentado matá-lo. Por isso, apenas tentou se defender.

Segundo a denúncia, o decoro parlamentar exige que o vereador tenha conduta moral, dentro e fora da câmara municipal, muito além daquela demandada de outras pessoas.

Formada através de sorteio, a comissão processante realizou sua primeira reunião nesta quarta-feira (27). Nela ficou definido que a presidência ficará a cargo do vereador Toni Loureiro (PP). O relatório que será feito pelo vereador Celso Dias (PRB), indicando se Beto Negreiro deve ou não ter seu mandato cassado, será votado em plenário pelo total de vereadores. Antes disso, após ser notificado pela comissão processante, Beto Negreiro terá dez dias para apresentar sua defesa.

São membros da comissão processantes os vereadores Mônica Cordeiro (PDT), Carlinhos do Josiel (PP) e Adeir do Gás (PDT).

Apesar de várias tentativas, nossa reportagem não conseguiu falar com o vereador Beto Negreiro.