Meio Ambiente

Seminário fortalece associação de catadores de materiais recicláveis no Estado

Postando em:

O fortalecimento dos Catadores de Materiais Recicláveis foi um dos objetivos do seminário “Situação produtiva dos catadores de materiais recicláveis frente a aplicação do TCA 01” realizado na manhã desta quarta-feira (30), no auditório da Estel, promovido pela Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes). Essa ação é mais uma entrega do Projeto Catadores de Materiais Recicláveis, resultado do convênio nº 782753/2013, firmado entre o Governo Federal, por meio da SENAES/MTE e a Aderes.

O prefeito Jones Cavaglieri esteve presente e destacou a importância do 3º setor para o desenvolvimento do município e região. “Este setor vem adquirindo crescente importância econômica por sua expansão como geradora de emprego e renda e principalmente pela ampliação de seu papel social”.

Na ocasião também estiveram presente o diretor da Aderes, Edilson Rodes, os secretários municipais de Meio Ambiente, Wagner Carmo, de Obras e Infraestrutura, Wellington Giacomin e Transportes e Serviços Urbanos, Luiz Fernando Meier, servidores municipais e representantes da associação de catadores.

Segundo Edilson Rodes o governo está animado com o projeto de fortalecimento dos catadores de materiais recicláveis e com as parcerias com as prefeituras. “Os catadores estão sendo reconhecido no nosso país. O trabalho realizado pelas associações de catadores de materiais recicláveis do Espirito Santo estão gerando uma renda de R$800 mil/mês, sendo que esse valor é resultado de apenas 6% da coleta seletiva do Estado. Tomem esse serviço como um negócio. Sejam gestores dos seus negócios”.

“O trabalho realizado pelos catadores além de ser gerador de renda está colaborando para prolongar a vida no planeta. O governo está olhando com atenção para o 3º setor, por isso se empenhem cada vez mais e que tenham êxito nesse desafio”, ressaltou Cavaglieri.

O trabalho das 72 associações de catadores de materiais recicláveis no Estado representam uma economia de R$150 mil/mês para as prefeituras. São mil toneladas/mês de materiais transformado em produto comercial e retirado de aterros sanitários.

O seminário serve para conhecer que tipo de resíduo sólido é produzido em cada região, a quantidade que é produzida e o mapa de risco de cada associação local. As oficinas pretendem ainda reunir prefeitos municipais, promotoria pública e associações de catadores, para analisar e discutir conjuntamente a política de resíduos sólidos e meio ambiente, com todas as orientações e prevenções que fazem parte da atividade dos catadores.

Fonte: Prefeitura de Aracruz