Trânsito

Celular provocou acidente que matou comerciante em Aracruz

Postando em:

O acidente que matou o comerciante Geovane Antônio de Freitas Padilha em Vila do Riacho, Aracruz, teve como causa a distração com um aparelho celular. É o que indicam os depoimentos prestados ao delegado plantonista Caetano Louvise Netto na última terça-feira (15), dia em que ocorreu o acidente. Notícia relacionada: Caminhão bate em veículo parado em acostamento e uma pessoa morre na ES-010 em Aracruz

Segundo o depoimento do motorista Leandro Helker de Almeida, 25 anos, que dirigia o caminhão em que estava com Geovane, seu patrão, enquanto dirigia se distraiu com o celular e quando se atentou para a estrada bateu em outro caminhão, que estava parado à margem direita da Rod. ES-010. De acordo com um Sargento da PM, que atendeu à ocorrência, o celular caiu no chão do veículo e o motorista se abaixou para pegar o aparelho. Foi o suficiente para o motorista perder o controle da direção e bater na traseira do outro caminhão, que estava parado no acostamento por causa de um pneu furado. Com o impacto, o pára brisa foi arrancado. Dormindo encostado no banco e sem cinto de segurança, Geovane foi jogado para fora veículo, parando na roda traseira do próprio caminhão. Quando o motorista foi socorrê-lo, o comerciante de 34 anos já não apresentava sinais vitais.

O comerciante e o motorista haviam saído de Marechal Floriano às 03h da madrugada para fazer entregas de hortaliças e frutas em estabelecimentos comerciais de várias regiões de Aracruz. Eles já haviam feito entregas na orla e sede de Aracruz. O acidente ocorreu por volta das 15h, quando seguiam no caminhão Mercedes Bens 741 (baú), no sentido Barra do Riacho x Vila do Riacho, no mesmo município.  Foto de capa mostra o caminhão baú parado a 77 metros do outro caminhão

As informações são do delegado Leandro Sperandio, titular da Delegacia de Infrações Penais e Outras – DIPO de Aracruz.

 

Celular no trânsito

Segundo a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), o telefone celular é a segunda causa de acidentes de trânsito no Brasil. No acidente em Vila do Riacho, o motorista não afirmou que usava o celular quando o aparelhou caiu, mas admitiu que se distraiu com ele.

Uma dica de especialistas de trânsito para não cair em tentação e usar o aparelho é que o motorista mantenha o celular longe do alcance, de preferência desligado e dentro do porta-luvas, por exemplo.  

No Brasil, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia realizou uma enquete no Rio de Janeiro e em São Paulo que atestou que 84% dos motoristas têm o hábito de dirigir e falar ao celular, embora todos estejam conscientes de que esse é um comportamento perigoso.