Meio Ambiente

Onça ameaçada de extinção é capturada em sitio de João Neiva

Postando em:

Uma onça foi capturada na manhã desta quinta-feira (01) em uma propriedade rural na localidade de Mundo Novo, município de João Neiva. A captura ocorreu por volta das 8h da manhã.

Há alguns dias, Sr Geremias e a Dona Delza Fornaciari, proprietários do Sítio Fornaciari, vinham notando o desaparecimento de galinhas, marrecos e até gatos criados na propriedade. Logo imaginaram que algum bicho de maior porte poderia estar comendo os animais. Foi então que resolveram improvisar uma espécie de armadilha incapaz de ferir, mas apenas para capturar o misterioso animal. Pais da locutora Natália Fornaciari, da Rádio Conexão, de João Neiva, o casal usou uma espécie de gradilho protegido por uma tela, e pedaços de galinha como isca para atrair o invasor.

Na manhã desta quinta-feira a Dona Delza ficou impressionada ao perceber que havia capturado uma onça. A Polícia Ambiental foi acionada e imediatamente enviou uma equipe ao local. O jovem felino apresentava ferimentos no entorno da boca, assim como alguns espinhos.

Para o subtenente Piva, que atendeu a ocorrência, tudo indica que os ferimentos foram causados por um ouriço-cacheiro. (Foto ilustrativa)

Ainda, segundo o subtenente, a onça, da espécie Jaguatirica, está ameaçada de estinção. Em média, um animal adulto dessa espécie pode pesar até 25 kg. “É possível que o felino tenha saído de um dos fragmentos de Mata Atlântica existentes na região. Pode ter sido atraído por outros animais”. Afirmou o policial ao Site Aracruz.

A presença da onça resultou em um momento educativo para crianças do Projeto JHJ, que funciona no bairro Crubixá, bem próximo ao Sítio Fornaciari. Levadas ao local para ver o animal que já estava devidamente preso e sem oferecer perigo, as crianças tiveram a oportunidade de assistir a uma breve palestra ministrada pelo subtenente Piva. Na mensagem o policial orientou para os cuidados com a segurança das pessoas e do próprio animal em caso de um inesperado encontro entre as espécies. “Ao se deparar com um animal silvestre não se deve aproximar, acuar ou machucar o bicho. O indicado é acionar a Polícia Ambiental” afirmou.

Ainda, segundo o subtenente, a Jaguatirica foi levada para o Projeto Sereias, em Barra do Riacho, Aracruz, e posteriormente encaminhada para soltura em local adequado no mesmo município.